quarta-feira, 31 de outubro de 2012

A COMUNIDADE SURDA NA SOCIEDADE VALENCIANA




            
 
 Os grupos de relacionamentos são formados de acordo com a identificação e/ou afinidade que os indivíduos encontram neles. As roupas, o modo de falar, de se vestir, de se divertir e etc. São características desses grupos. Isso ocorre também nas comunidades surdas da cidade de Valença. Pois eles se relacionam com aqueles que compartilham a mesma linguagem, a de sinais.
            Esses grupos formados pela comunidade surda valenciana se comportam como qualquer outro grupo formado por pessoas ouvintes. Eles se divertem, conversam sobre diversos temas (política, cultura, etc.) O que desmitifica a ideologia de que as pessoas surdas não podem ter um convívio social normal e, por isso, alguns vivem presos em suas casas por seus familiares. As pessoas que não tem conhecimento sobre o assunto, ainda pensam que os surdos são doentes e não tem capacidade de ter uma vida normal, que pode trabalhar, estudar, namorar, como qualquer outro cidadão.
            A superproteção da família atrapalha e muitas vezes o desconhecimento da sobre a língua de sinais atrapalha no seu desenvolvimento intelectual, comunicacional e social. Por quanto, prender as pessoas surdas em casa, privando-o do convívio social só dificulta no seu processo de aprendizagem e na obtenção de experiência de vida, usurpando e/ou retardando a sua independência.
            Esses encontros marcados pelas comunidades surdas só favorecem para o crescimento individual de cada surdo, por que eles compartilham de problemas semelhantes e apoio para a resolução deles á partir dos relatos e experiências de outros surdos. As atividades desses grupos são extremamente importantes, porque essa minoria da parcela da sociedade valenciana não conta com políticas de acessibilidade, de assistência para o lazer voltado para essa comunidade, como por exemplo, campeonatos de diversas modalidades esportivas adaptados para atender essa clientela.
            Por fim, esses grupos e/ou comunidades precisam ter mais a atenção das autoridades e dos valencianos, pois são cidadãos que possuem os mesmos direitos e deveres que nós, ditos “perfeitos” só porque possuímos todos os membros do corpo normais, sem “defeitos”. Mas vivem excluídos por ter uma forma de se comunicar diferente (com as mãos). É importante conhecer essas comunidades para poder ter mais simpatizantes que promovam a divulgação da língua de sinais e da cultura surda, a fim de quebrar preconceitos petrificados na mente humana que não toleram as diferenças do outro, descriminando-o e fazendo pré-julgamentos errôneos e equivocados sobre os mesmos. Compartilhe essa ideia para o fortalecimento da comunidade e da cultura surda em nossa cidade.

            AUTOR: IGOR ROSÁRIO

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário nas postagens.